Educação e Publicidade

Educação e Publicidade

Educação e Publicidade

Você já reparou que em salas de aula de colégios existe, quase sempre, uma janela de vidro ou uma abertura de visão nas portas?
Isto se deve a dois princípios consagrados na história: o primeiro tem sua origem em Jeremy Bentham, filósofo que idealizou um sistema de vigilância prisional em que uma pessoa monitorava vários presos por intermédio de uma torre central em uma torre circular. Ver e não ser visto. Então, o simples pensamento de que poderia haver uma vigilância faria com que os penitentes (presos) cumprissem suas obrigações prisionais voluntariamente. O professor não é preso, mas está cativo e elado ao programa educacional estabelecido pelas normas e diretrizes educacionais.
O segundo ponto refere-se ao princípio fundamental do Estado Democrático de Direito: a publicidade. Assim, uma aula é um ato público; mais ainda, a responsabilidade dada pelos pais ou representantes legais dos menores circunscreve-se ao programa de ensino da Instituição Educacional.
Vale dizer que a liberdade da cátedra não é absoluta no que concerne à educação fundamental. Isto posto, qualquer violação ou abuso da assistência cativa e obrigatória que o professor tem, deve e pode ser alvo de publicidade por parte dos alunos ou qualquer cidadão.
A doutrinação é o principal fator da péssima educação brasileira demonstrada em exames de proficiência mundiais.
Rosalvo Lourenço da Silva
Brasília, 30 de novembro de 2018.

No Comments

Post a Comment