SEDUÇÃO E DOUTRINAÇÃO

SEDUÇÃO E DOUTRINAÇÃO

A raiz semântica da palavra “educação” nos remete ao vernáculo “ducto” (canalização, direção). O vernáculo sedução é o contrário de educação – se ducto – (fora da canalização, direção). A doutrinação é um evento de sedução pois o alvo (o doutrinado) terá que realizar tarefas específicas e, não poderá analisar logicamente o fato objeto da doutrinação.
Semelhante a um relacionamento amoroso, você só tem olhos para a pessoa amada, ainda que seja uma crápula. Neste sentido há que se doutrinar as pessoas doutrináveis e isso não é tautologia. Doutrinável são aquelas pessoas que não possuem capacidade cognitiva extensa. São eles: as crianças, os adolescentes na sua totalidade e os jovens e adultos com educação e percepção sensorial abaixo da realidade.
O doutrinador tem um discurso sedutor quando conclama a saída da realidade e busca o ideal imaginário. Educação e sedução se confundem, mas seus efeitos não. A educação é fundamentada na realidade fática experimentada e almejada segundo as regras básica da lógica. Doutrinação pressupõe uma atuação específica para determinado tema que, muitas vezes, não condiz com a lógica mais elementar.
A doutrina política de esquerda, por exemplo, incute na cabeça dos doutrinados a sua supremacia moral sobre as pessoas discordantes, apesar da mesma ter produzido cerca de 200 milhões de mortes ao longo da história. Nenhuma guerra, nenhuma peste conseguiu a triste façanha deste pensamento que hoje é hegemônico.
O grande problema a ser desvendado é explicar por que a história não é revelada em sua essência.

Uma história corrompida gera milhões de deformados!

No Comments

Post a Comment